Gavião Arqueiro (Com Spoilers)

“Gavião Arqueiro”, em seu material de “Marketing” sempre nos avisou que essa seria uma série bastante despretensiosa e sem grandes revelações. Algo descontraído equiparado aos “filmes pré-natal” que a Netflix insiste em produzir todos os anos, ou aqueles filmes “sem compromisso” sobre Natal que a “Sessão da Tarde” faz questão de reprisar. Até aí tudo bem, fomos assistir aos episódios desta série com esse “espírito”, afinal, fomos avisados.

O maior problema é que, ao longo da trama a série começa a criar uma expectativa em seu público muito grande a partir do momento em que ela passa a mudar o discurso de seu próprio Marketing alegando agora que essa série também será repleta de ligações com outras séries e filmes do MCU e além disso, que o seu vilão principal seria, de fato, muito misterioso e perigoso. Algo que era para ser descontraído torna-se tenso e aparentemente muito importante para o MCU.

A série perde um grande potencial quando trás de volta um dos vilões mais icônicos da MARVEL sem desenvolvê-lo reduzindo o mesmo a nada. Seu final é decepcionante e muito superficial. A única coisa que podemos tirar de bom é a introdução de Kate Bishop (Hailee Steinfeld) ao MCU, tirando ela não existe nada de original, nada memorável ou que podemos usufruir para o futuro de alguma futura trama, o que é um pena. Wilson Fisk é totalmente descaracterizado nesta temporada. Alguém que é praticamente imbatível nas três temporadas de “Demolidor” (Netflix) aqui é facilmente derrotado por uma aprendiz que mal foi introduzida na MARVEL, não tem lógica, é a nostalgia pela nostalgia e isso é decepcionante.

“Gavião Arqueiro”, é o maior exemplo de “fórmula MARVEL” que podemos comparar atualmente, a série a agora entra para a lista de uma das piores decepções do Estúdio junto a “Homem de Ferro 3” e “Thor: O mundo sombrio”.

Joinhas:

1

Por:

@eduardomontarroyos

.0 / 5.0