Fitness

Kidding - 1ª Temporada

Em ‘Kidding’, Jim Carrey interpreta Jeff, também conhecido como Sr. Pickles, um ícone televisivo para crianças, um farol de bondade e sabedoria para as jovens mentes impressionáveis dos Estados Unidos e os pais que cresceram com ele – que também ancora um império multimilionário.

Mas quando sua família – esposa, dois filhos, irmã e pai – começa a implodir, Jeff descobre que nenhum conto de fadas, fábula ou filhote vai guiá-lo em meio a essa crise, que avança mais rápido que sua vontade de cooperar. O resultado: um homem carinhoso em um mundo cruel se depara com um lento vazamento de sanidade tão hilário quanto doloroso.

É a segunda vez que o diretor Michel Gondry e Carrey trabalham juntos desde ‘Brilho Eterno de uma mente sem lembranças’. A série encara a comédia e o surreal de formas bastantes simples, não há muito o que desenvolver até por causa da proposta da série como um todo. São apenas dez episódios por temporada, com menos de trinta minutos de duração. Nada que atrapalhe a trama, porém as soluções abordadas são bastante superficiais. O ponto mais alto é, de fato, a atuação de Carrey que passeia por vários gêneros ao longo desta primeira temporada. Da comédia, que é o seu cargo chefe, ao drama melancólico em que mostra ter muita propriedade na interpretação.

Apesar do Sr. Pickles ser um apresentador de um programa fictício infantil a intenção da série é bastante oposta, a tentativa de mostrar os dramas desse apresentador que passa por várias crises já no início da temporada torna toda a história um pouco sombria. O que mais incomoda são algumas tentativas um tanto ‘forçadas’ através de uma grande imitação, ou até adaptação do clássico “teatro do absurdo”, tais chances aparecem e não são tão bem aproveitadas.

Entretanto a trama mostra-se bastante satisfatória por nos entregar cenas memoráveis, e essas não poderei comentar por causa de “spoilers”, mas são todas as que envolvem um confronto direto entre Jeff e sua personalidade dualista. Seus coadjuvantes são tão excêntricos como o seu protagonista, até o elenco mirim dá um show de atuação. É uma obra tão peculiar que a escolha mais sábia deveria ter sido a de tratar tal história como uma minissérie e terem parado por aqui, entretanto a sede por audiência fez a ‘Showtime’ renovar a temporada levando todos para um mar de problemas. Mas essa é uma questão para outra crítica. Até aqui as coisas vão bem.

Joinhas:

3

Por:

@eduardomontarroyos

.0 / 5.0

2 Lados Online © 2014-2020. Created by Rafael Carvalho