King’s Man - A Origem (Eduardo Montarroyos)

“King’s Man: A origem” é um bom prelúdio e ao mesmo tempo uma divertida continuação a tudo o que nos foi apresentado até então desta franquia surpreendente. Com referências diretas a saga principal o longa cumpre o seu objetivo de introduzir os principais elementos de sua trama e ainda faz uma releitura da Primeira Guerra Mundial, como se todos os seus acontecimentos históricos tivessem como causa a criação desta elegante e britânica organização secreta.

‘Ralph Fiennes’ “carrega praticamente o filme todo nas costas”, sua atuação e dedicação são bastante satisfatórias. O longa mescla bons diálogos e cenas de ação muito bem ensaiadas. A produção não economizou esforços e recursos financeiros a fim de deixar tudo muito bem-acabado. Temos aqui um filme simples “de origem” com nenhuma pretensão em ser grandioso, mas em manter o padrão de sua franquia. Seus três atos são bastantes claros e autoexplicativos. Arrisco-me a dizer que dos três filmes já lançados temos aqui o segundo melhor pois o primeiro ainda é o meu favorito.

A grande diferença de King’s Man como trama principal está nas ousadas cenas de ação que ele propõem, tirando isso esses longas apenas seriam só mais uma franquia britânica de espionagem, no mesmo estilo “James Bond”. Não que isso seja ruim, mas sem essas sequências belíssimas eles perderiam a sua originalidade. Isso é algo que acontece um pouco neste longa, pois as grandes cenas de “plano contínuo” nas quais são características da saga não estão presentes aqui, particularmente senti muito falta do que considero a “alma” da saga King’s Man.

Entretanto, tirando este pequeno detalhe tudo está lá: A elegância de seus personagens, as reviravoltas, as mortes repentinas e um bom vilão (ou vilã, quem sabe, não vou estragar a sua experiência). Vale a pena conferir a origem de Kingsman no cinema, pois o filme é todo trabalhado para as telonas, contemplar este trabalho no lugar certo é um dever dos amantes da sétima arte como você que leu essa crítica até o final!

Joinhas:

4

Por:

@eduardomontarroyos

.0 / 5.0