Querido Evan Harsen

Um musical precisa sempre chamar a nossa atenção, é normal ser exagerado: Desde os musicais clássicos da “Disney” (os únicos que o público geral tinha contato) até os novos musicais da atualidade precisam mostrar (principalmente na hora dos números musicais) que algo não pertence a realidade, pois não é natural sairmos cantando com coreografias iguais no meio de uma cena do cotidiano...

ou seja, numa obra cinematográfica isso precisa ser mostrado: Seja com uma luz diferente ou numa película particular, o musical não é natural e não faz parte da realidade humana, disso nós sabemos e estamos convencidos desse detalhe, até gostamos disso, entendo que num espetáculo teatral tudo isso fica mais fácil de excetuar, mas em “Querido Evan Harsen” nenhum desses elementos fundamentais são levados em consideração.

Além da trama se mostrar bastante enfadonha é bastante perigosa pois usa o ‘suicídio’ como artifício e a ‘mentira’ é o cargo chefe dessa trama. Sem contar a escolha de ‘Cast’ para o filme no qual não possuem nenhum carisma, principalmente o seu personagem principal estrelado por ‘Ben Platt’ (ele também apresenta o musical da Broadway, mas aqui não consegue se encontrar). As escolhas da direção e fotografia são péssimas, sempre o rosto de Platt estão estampados na câmera e suas expressões faciais são bem confusas, tornando cômico o que deveria ser dramático. A falta de expressão em seu elenco é gritante.

Nem as grandes performances de ‘Julianne Moore’ e ‘Amy Adams’ conseguem salvar a história, apesar de serem escaladas para papeis mais difíceis, no qual exigem uma carga dramática maior elas não disfarçam as más escolhas de direção num roteiro confuso e monótono. Não vemos investimentos nas áreas de coreografia e até seus figurantes parecem não estarem conectados com o filme. Não há engajamento na trama fazendo com que até suas maiores revelações tornem-se cansativas ao longo do ato final. Enfim, o grande turbilhão de escolhas erradas fez o “Querido Evan Harsen” não ser tão querido assim, nem na trama e muito menos na vida real.

Joinhas:

2

Por:

@eduardomontarroyos

.0 / 5.0