Thor - Amor e Trovão

Cuidado com a sua expectativa! Esse é o primeiro aviso que você deve receber de um bom amigo antes de assistir “Thor: Amor e trovão”. Mas esse não é um mal sinal: Simplesmente não dá pra esperar um “Vingadores: Ultimato” em todos os filmes de Marvel que iremos assistir a partir de agora. O novo “Thor” é uma história individual e bem tradicional, algo diferente dos longas do estúdio, e isso é muito bom! É claro que tem algumas “pontas” à resolver, mas nada que seja tão “inacabado” quanto nos outros filmes.

“Taika Waititi” mais uma vez brilha ao colocar o seu tom peculiar nos filmes desse herói. Comete os mesmos erros que “Ragnarok” ao não saber fazer uma boa divisão entre a comédia e o drama, principalmente no segundo ato. Mas ainda assim já podemos ver uma pequena evolução em relação ao seu primeiro trabalho com Thor. A Marvel está lutando e conseguindo o que quer: Ter diversos diretores talentosos, com suas assinaturas, sem deixar de “amarrar” todos os filmes. Isso pode atrapalhar em alguns trabalhos, mas Taika não deixa acontecer aqui.

A carga dramática da trama está em quem sabe fazer: Primeiro, “Natalie Portman” nos apresenta dilemas muito relevantes e entrega uma boa parceira para o deus do trovão. E logo após, não podemos de mencionar o ponto mais alto deste longa: “Christian Bale” dá uma verdadeira aula de vilania. O personagem carrega um grande peso dramático e tem uma das maiores motivações de toda saga do MCU. Vale a pena o ingresso só pra ver Bale! É o famoso “vilão que rouba a cena”.

Simples e direto, engraçadíssimo e também dramático, sucinto e objetivo. “Thor: Amor e trovão” é definitivamente o que os fãs pediram: Algo diferente. Não podemos reclamar porque não estamos vendo “mais do mesmo” na Marvel, o longa e a prova viva de autenticidade. Vale a experiência! Espero que Taika volte, pelo menos para concluir uma trilogia com Thor e seus personagens, espero que seu trabalho em “Star Wars” não atrapalhe uma conclusão merecida assim com “James Gunn” fará coma os “Guardiões da Galáxia”.

Joinhas:

4

Por:

@eduardomontarroyos

.0 / 5.0